BDSM

Dedo do pé de camelo adolescente com calcinha pornô

com dedo adolescente camelo calcinha de pé pornô do

com dedo adolescente camelo calcinha de pé pornô do

com dedo adolescente camelo calcinha de pé pornô do

com dedo adolescente camelo calcinha de pé pornô do

com dedo adolescente camelo calcinha de pé pornô do

com dedo adolescente camelo calcinha de pé pornô do

com dedo adolescente camelo calcinha de pé pornô do

com dedo adolescente camelo calcinha de pé pornô do

com dedo adolescente camelo calcinha de pé pornô do

com dedo adolescente camelo calcinha de pé pornô do

Milf japonesa sofia rosa nude
com dedo adolescente camelo calcinha de pé pornô do

com dedo adolescente camelo calcinha de pé pornô do

com dedo adolescente camelo calcinha de pé pornô do

com dedo adolescente camelo calcinha de pé pornô do

com dedo adolescente camelo calcinha de pé pornô do

com dedo adolescente camelo calcinha de pé pornô do

com dedo adolescente camelo calcinha de pé pornô do

com dedo adolescente camelo calcinha de pé pornô do

com dedo adolescente camelo calcinha de pé pornô do

com dedo adolescente camelo calcinha de pé pornô do

com dedo adolescente camelo calcinha de pé pornô do

com dedo adolescente camelo calcinha de pé pornô do

com dedo adolescente camelo calcinha de pé pornô do

com dedo adolescente camelo calcinha de pé pornô do

com dedo adolescente camelo calcinha de pé pornô do

Como eles conseguem beber tanto vinho e permanecer magros? Giro o copo debaixo do nariz. Essa bebida é medicinal. Preferia ter sido vítima de uma fraude. Teria sido muito mais barato do que gastar o próprio dinheiro. Estou sem emprego e endividada. Devo ao banco 9 mil libras. Isto representa notas de dez libras. Engulo o pânico e rapidamente troco a imagem de uma enorme pilha de notas de dez libras por uma menor, de 50 libras, e logo me sinto melhor. Visto desse ângulo, parece quase nada.

Sentada na cama, abro, com um floreio, o Evening Standard de ontem à noite. O marido fugiu com outra. O que. Quando abri o guarda-roupa, Lulu, com quem divido o apartamento, chegou do trabalho, se jogou na cama, chutou os sapatos e colocou um travesseiro debaixo da cabeça.

Olhei de soslaio. Ela se contorceu até a cabeceira, com as pernas esticadas e os tornozelos cruzados. Braços cruzados, decidida, olhou para as unhas. Ela encolheu os ombros. Ela deu um suspiro desesperado.

Gostei dele desde o início. Me assustei. Tomada de raiva, ela andava de um lado para o outro do quarto. Isso é fraude! Duas vezes! Estava assistindo a Deal or no Deal[1].

Até quebrei uma unha tentando tirar seu cinto. Olha só! Realmente a unha estava quebrada. Lulu bufou furiosamente. Sabe o quê!? Acho que foi possuído pelo espírito de um condutor de trem vitoriano, porque ele, literalmente, freou. E o que piorava tudo era saber que a ideia tinha sido minha.

Imagine um homem, com cabelo preso num rabo de cavalo, barba por fazer, brandindo uma espada enorme. Ele usaria uma saia de couro e uma capa de pele e cheiraria a Chanel for Men. Ele poderia me levantar facilmente e me colocar em seu barco, onde eu pareceria incrivelmente magra a seu lado. Franzi o cenho. Mas o que eu estaria vestindo? Vou procurar imagens de vikings no Google.

Lulu bateu o pé, irritada. Me diga, você nunca se perguntou se eles se incomodam? Olhei atentamente para ela. Professor de aeróbica? Bom, eu deveria ter ficado assistindo a Deal or no Deal — ela apontou o dedo para meu rosto. Sabiamente concordei. É claro que entendi seu ponto de vista. Segurei um vestido em minha frente, olhei para o espelho e pensei em quantos vinhos tinha tomado quando o comprei. Ele era verde fluorescente. Sim, definitivamente, uma aparência de ordem começava a tomar forma e isso era reconfortante.

Um cara com quem ela namorou por três meses antes de terminar tudo no Dia dos Namorados. Lulu colocou o dedo na bochecha, pensando seriamente. Estou arrumando meu guarda-roupa. Ela bebeu meu vinho e estudou o fundo da garrafa vazia. Tirei o short e a camiseta.

Prefiro as com cintura alta. Concordei, examinando meu corpo e desejando que meus seios fossem menores. Lulu é bonita. Ela é enfermeira. É surpreendente. Mas, aparentemente, ela é a enfermeira mais popular da clínica. Sua agenda fica lotada em dez minutos. Ela diz que ama seu trabalho. Temos que fazer compras. E só nos restam quatro garrafas de vinho — disse, ainda estudando seu perfil. Apertou suas coxas à procura de celulite, suspirou e se ajoelhou para pegar suas roupas.

Vamos sair. Uma grande parte do pagamento inicial foi financiada pelos meus pais. A maneira como Lulu dirige me assusta. Ela saiu de ré da garagem e entrou na rua. O carro seguiu em. Por que tenho que ouvir o motor? É melhor ouvir Beyoncé — sugeriu, ligando o CD player.

Meu interior se agitou. Olhei de relance. Pareço o Animal dos Muppets — resmungou. Eu havia conversado com Deus no carro. Prometi também que se Ele me desse uma força, apoiaria as boas causas.

Ela começou a empurrar um carrinho de supermercado como se praticasse um esporte olímpico. Biscoitos engordam. Vamos comprar queijo branco. Quero perder três quilos essa semana — tagarelava. Pegue as folhas — mandou, referindo-se à salada. Ai, ai — ela arfou, caindo de joelhos em respeito ao espumante Prosecco. Pensei que você quisesse perder três quilos essa semana.

Quando chegamos em casa, abrimos uma garrafa de vinho e começamos a guardar as compras. Sorrindo, ela tomou seu drinque. Olhei para elas. Ela concordou. Hoje vamos ficar em casa e malhar. Lulu costuma ter péssimas ideias. Temos botas de esquiar, raquetes de tênis e squash, fitas para aprender italiano, sapatos de boliche, dois capacetes para uma motocicleta que ela nunca comprou, uma mountain. Caminhei devagar até a sala. Ela estava recostada na lareira de ferro fundido, examinando os DVDs.

Nós decoramos o apartamento. Um grande candelabro de bronze domina o centro da sala. É deslumbrante, mas machuca a cabeça de qualquer pessoa maior que um ogro.

Vamos experimentar? Olhei seu busto tamanho 46 e ri. Algumas vezes me desespero com sua atitude preguiçosa. Ela é quem costuma deixar xícaras de café e balas de goma grudadas na penteadeira.

8 Comment

  • Com os ombros curvados, clicava no mouse sem parar. Calma, Doris! Ele trombou comigo. Ele manteve o dedo na campainha até eu atender à porta. Fiz a coisa certa?
  • Elas eram grossas. Estou com muita pressa — disse empurrando as crianças pela porta. Duas vezes! Os meus também. Ele ainda segurava meu rosto. Pelo menos, eu saberia. Nunca usei nada da Clarins.
  • Me alonguei e suspirei, repleta de contentamento. Estava prestes a afastar o que pensei que fosse uma vespa, quando Doris falou. Continuei no meu ritmo. Ele entrelaçou o braço no meu. Dei meia-volta nos sapatos de salto alto e varri o lobby com os olhos.

Leave a Comment

Privacy Settings
We use cookies to enhance your experience while using our website. If you are using our Services via a browser you can restrict, block or remove cookies through your web browser settings. We also use content and scripts from third parties that may use tracking technologies. You can selectively provide your consent below to allow such third party embeds. For complete information about the cookies we use, data we collect and how we process them, please check our Privacy Policy
Youtube
Consent to display content from Youtube
Vimeo
Consent to display content from Vimeo
Google Maps
Consent to display content from Google