Amateur

Lambendo fotos de buceta adolescente

adolescente buceta lambendo de fotos

adolescente buceta lambendo de fotos

adolescente buceta lambendo de fotos

adolescente buceta lambendo de fotos

adolescente buceta lambendo de fotos

adolescente buceta lambendo de fotos

adolescente buceta lambendo de fotos

adolescente buceta lambendo de fotos

adolescente buceta lambendo de fotos

adolescente buceta lambendo de fotos

Milf japonesa sofia rosa nude
adolescente buceta lambendo de fotos

adolescente buceta lambendo de fotos

adolescente buceta lambendo de fotos

adolescente buceta lambendo de fotos

adolescente buceta lambendo de fotos

adolescente buceta lambendo de fotos

adolescente buceta lambendo de fotos

adolescente buceta lambendo de fotos

adolescente buceta lambendo de fotos

adolescente buceta lambendo de fotos

adolescente buceta lambendo de fotos

adolescente buceta lambendo de fotos

adolescente buceta lambendo de fotos

adolescente buceta lambendo de fotos

adolescente buceta lambendo de fotos

Teia labirinto: da diversidade sexual à pluralidade é uma curadoria realizada pela escritora Carla Cunha autora de Vermelho Infinito — Ato 1 [em delírios e espasmos] , Batom B eth B rait Alvim.

Lina chegou. É assim melado que a beijo. Gosto de induzir Lina a lamber entre meus dedos. Bem na porta do apartamento. Se vem gente, melhor. Lina tocou duas vezes. Deixei tocar de novo. Aumento um pouco o som. Quero que ela ouça. Espero os chamados, as batidas secas na porta. Lina vencedora. Alta, sensual, a mulher-objeto que todo homem deseja possuir até a morte.

Aumento mais o som. Aguardo, atenta, os gritos. Sorvo um gole grande. O beijo doce. Lina roubou meu primeiro amor. Eu chorava e Lina me consolava, afagava lenta meus cabelos e, entre os soluços, suspirava dizendo como Ricardo a deixava tesa, eu soluçava mais, ela me acariciava, e sussurrava, pontuada, como submetia Ricardo.

Até lamber meus dedos, ela dizia, e eu sentia dor, prazer, dor. Lina, meu bem, esmurra a porta. Deixa a alça cair como ontem e anteontem. Mostra a renda preta, combina com a liga que te dei naquele natal. Que escândalo, Lina. Carmina Burana mais forte. Viro mais um copo. Apago as luzes. Linda Lina. Esfrego a boca melada no teu telegrama suicida. Pura sabedoria. Urra, Lina. Arranha a porta. Minha amiga. Meu mito, meu algoz. Diz que vai se matar.

Que feio, Lina. Assim te quero. Ingerindo veneno. Como se teu ventre, resgate ancestral, se ungisse do líquido que me falta. Silencia, Lina. E fica atenta aos engulhos, ânsias, dor de parto invertido. Desligo o som. Fecho a porta do nosso quarto. Ruído algum. Aninhamos nossos corpos na poltrona marrom no canto do quarto. Vi teu rosto de barro sobre mim. Te quis o mais próximo de mim. A tua beleza de fogo soltando flocos de tisne e marcando a minha pele branca com teus grasnidos. Padeci de temor e tu a mim descobriste.

Tu violaste a caixa de pavores e me livraste dos meus abismos. Escuta, escuta agora os meus sussurros te chamando para o meu leito. Ouve as minhas convulsões te pedindo fica, fica mais. Fomos duas esferas gigantes.

Em , lançou o texto Vermelho Infinito — Ato 1 em delírios e espasmos. Wuldson Marcelo. Corintiano apaixonado por literatura e cinema. Salvar meus dados neste navegador para a próxima vez que eu comentar. Notifique-me sobre novas publicações por e-mail. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit, sed diam nonummy nibh euismod tincidunt ut laoreet dolore magna aliquam erat volutpat.

Ut wisi enim. Subscribe to our newsletter. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit, sed diam nonummy nibh euismod tincidunt ut laoreet dolore magna aliquam. Curadoria , Poesia , Ruído. Assim, convida a todos para que se deliciem. Ele era bom cozinheiro. Pois o leite para ferver, o leite fervia no meu corpo inteiro. Nós dois queríamos fazer o bolo mas, e a receita? Ele abriu o caderno, estava escrito, me ama.

Enrijecido com o vinho espesso do prazer nos vasos, avermelhado para o vai-e-vem sem atrasos. Difícil é agora que ereto, analisar qual buraco primeiro que vai ser, entre boca, cu e xoxota decidir qual primeiro foder. E te repito: por que haverias De querer minha alma na tua cama? Jubila-te da memória de coitos e acertos. Ou tenta-me de novo.

Ela vem mansa, lingerie sempre à mostra. Hoje comecei o dia ouvindo Carmina Burana. Ela logo chega, eu sei. A dor de combater desejos me veio cedo. Choro longo, feito criança perdida.

Gosto indescritível. Mordo, Lina. O pranto adolescente, mero pano de fundo. Agora mordo. Mais bonito e menos escandalosa que eu? Preciso saber. Wuldson Marcelo Wuldson Marcelo. Posts que você talvez goste. Endereço de Email. Seu site.

1 Comment

Leave a Comment

Privacy Settings
We use cookies to enhance your experience while using our website. If you are using our Services via a browser you can restrict, block or remove cookies through your web browser settings. We also use content and scripts from third parties that may use tracking technologies. You can selectively provide your consent below to allow such third party embeds. For complete information about the cookies we use, data we collect and how we process them, please check our Privacy Policy
Youtube
Consent to display content from Youtube
Vimeo
Consent to display content from Vimeo
Google Maps
Consent to display content from Google